???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.metodista.br/jspui/handle/tede/380
???metadata.dc.type???: Dissertação
Title: Uma crítica à realidade e a Deus Um estudo exegético em Jó 24,1-12
Other Titles: A Critic of Reality and God: A Exegetical Study of Job 24,1-12
???metadata.dc.creator???: Calonga, Tania Aparecida da Silva 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Siqueira, Tércio Machado
???metadata.dc.description.resumo???: O livro de Jó pertence à literatura sapiencial de Israel. Seu conteúdo é um grande debate entre sábios. Estes formavam um segmento educado da população: sabiam ler e escrever. A sabedoria era demasiadamente valorizada e concebida como orientação prudente para a vida. O texto 24,1-12 de Jó pertence à parte poética do livro. O poema foi escrito na primeira metade do século V a.C., no período do pós exílio, durante a dominação dos persas. Este império trouxe profundas modificações para a vida do povo em Judá. Apesar da aparente tolerância por parte de seus governantes, eles criaram métodos muito eficazes para alcançar seus objetivos de controle sobre os povos submetidos. Através de um forte aparelho burocrático, fiscal e militar controlavam e garantiam a ordem e o pagamento de tributos. O templo tornou-se o intermediário entre o império e o povo. A economia e a sociedade se estruturaram conforme o regime imposto pelos persas. Essa política econômica e administrativa favorecia o enriquecimento dos setores dominantes, e conseqüentemente o empobrecimento cada vez maior dos camponeses. Os sacerdotes eram os líderes do povo e a teologia da retribuição se fortaleceu muito nessa época. No entanto, a justiça de Deus explicada pela teologia da retribuição deparava-se com o problema do mal e do sofrimento do justo. É a partir da experiência e da observação da realidade que se origina um movimento de resistência à teologia da retribuição. No capítulo 24,1-12, Jó se lança numa contemplação sobre a sociedade dividida entre opressores e oprimidos. Desmonta o funcionamento da sociedade mostrando suas rupturas e conflitos graves. Sua intenção nesse texto é mostrar através da realidade, porque não concorda com as afirmações dos sábios que defendem a teologia da retribuição, sobre o castigo infalível para os ímpios ricos e sobre o sofrimento do pobre como indicação de castigo.(AU)
Abstract: The Book of Job belongs to the wisdom literature of Israel. Its content represents a great debate among the wise of the era. Those involved in this debate were members of an educated class who knew how to read and write. Wisdom was highly valued and understood as prudent orientation for life. The text 24,1-12 belongs to the poetic section of the book. The poem was written in the first half of the fifth century A.C., in the post-exilic period during the Persian domination. This Empire brought profound changes to the life of the people in Judah. In spice of the apparent tolerance in the part of the government, very effective methods were created to reach their goals. Behind a strong bureaucratic, fiscal and military apparatus they controlled and guaranteed order and the payment of tributes. The temple became na intermediary between the Empire and the people. The economy and society were structured in accordance with the regime imposed by the Persians. Economic and administrative policy favored the enrichment of the dominant class, and consequently the systematic impoverishment of the peasants. The priests were the leaders of the people, and the theology of retribution was strengthened considerably during this period. Nonetheless, the justice of God expressed by the theology of retribution faced the problem of evil and the suffering of the just. Personal experience and the observation of reality generated a movement of resistance to the theology of retribution. In chapter 24, 1-12, Job contemplates a society divided between oppressors and oppressed. He challenges the function of society by showing its weaknesses and contradictions. His intention in the text is to show, via reflections on reality, why he does not agree with the affirmations of the wise that defend the theology of retribution. He does so by demonstrating the infallible punishment of the impious rich, and reflecting on the suffering of the poor as an indication of punishment.(AU)
Keywords: Comunidades - Bíblia
Israel - História
Hermenêutica (Bíblia)
???metadata.dc.subject.cnpq???: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: BR
Publisher: Universidade Metodista de São Paulo
???metadata.dc.publisher.initials???: UMESP
???metadata.dc.publisher.department???: 1. Ciências Sociais e Religião 2. Literatura e Religião no Mundo Bíblico 3. Práxis Religiosa e Socie
???metadata.dc.publisher.program???: PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO
Citation: CALONGA, Tania Aparecida da Silva. A Critic of Reality and God: A Exegetical Study of Job 24,1-12. 2004. 161 f. Dissertação (Mestrado em 1. Ciências Sociais e Religião 2. Literatura e Religião no Mundo Bíblico 3. Práxis Religiosa e Socie) - Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2004.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: http://tede.metodista.br/jspui/handle/tede/380
Issue Date: 27-Feb-2004
Appears in Collections:Programa de Pos Graduação em Ciencias da Religião

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tania Calonga.pdf388.01 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.