???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.metodista.br/jspui/handle/tede/1626
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSANEMATSU, LAUDELINO SIQUEIRA AMARAL-
dc.contributor.advisor1Costa , Luciano Venelli-
dc.contributor.referee1Capelloza, Alexandre-
dc.contributor.referee2Dutra, Joel Souza-
dc.date.accessioned2017-03-28T17:15:09Z-
dc.date.issued2017-03-03-
dc.identifier.citationSANEMATSU, LAUDELINO SIQUEIRA AMARAL. RELAÇÃO ENTRE AS TÁTICAS DE INFLUÊNCIA E OS RESULTADOS DA LIDERANÇA NA ENFERMAGEM. 2017. [249fs]. Dissertação( Administracao) - Universidade Metodista de Sao Paulo, [São Bernardo do Campo] .por
dc.identifier.urihttp://tede.metodista.br/jspui/handle/tede/1626-
dc.description.resumoNas últimas duas décadas, a produção científica brasileira evidencia a falta de indicativos do efeito da liderança sobre os resultados da organização. Dessa forma, o presente estudo teve como objetivos: identificar, analisar, avaliar e compreender a relação existente entre as táticas de influência utilizada por líderes e os resultados alcançados pela liderança, mais especificamente, o Esforço Extra dos liderados, a Eficácia do Líder e a Satisfação com o Líder. O estudo foi realizado no contexto da enfermagem, que pode ser considerado um ambiente complexo de gestão. O enfermeiro tem formação insuficiente no tema da liderança, embora as diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em enfermagem tenham como um dos objetivos na formação deste profissional dotá-lo de competência para liderar. Quanto ao método para a elaboração deste trabalho foi assumida uma abordagem quantitativa com ancoragem descritiva, utilizando a pesquisa survey com questionários impressos. O público alvo da pesquisa foram os profissionais na área de enfermagem com experiência mínima de seis meses e que tivessem, como superior hierárquico, o enfermeiro. A amostra foi composta por 309 respondentes válidos, do interior do estado de São Paulo, atuantes na iniciativa pública, privada e terceiro setor. Para tratamento dos dados foi utilizado o software SPSS v.19 (Statistical Package for the Social Sciences) e para os cálculos e validações dos testes estatísticos foi utilizada a técnica de análise multivariada de modelagem por equações estruturais pelo método dos mínimos quadrados parciais (PLS-PM Partial Least Squares Path Modeling), com o software SmartPLS 3.0.M3. Como resultado, este trabalho corrobora com diversos outros estudos de autores brasileiros no contexto estudado sob o tema da liderança e, ao final, propõe uma tabela de qual tática de influência utilizar para o resultado que se pretende atingir em contexto complexo de gestão. Para se obter Esforço Extra do liderado, a tática que apresentou maior impacto foi Consulta. Já para ser reconhecida a Eficácia do Líder ou obter Satisfação com o Líder, as táticas com maiores impactos foram Persuasão Racional e Colaboração. Entretanto, outras táticas de influência atuam de forma suplementar, conforme os resultados da presente pesquisa, para os três construtos dependentes. Conclui-se que líderes que utilizam o estilo de liderança Transformacional conseguem Esforço Extra de seus liderados e líderes que utilizam o estilo de liderança Transacional obtêm o reconhecimento da Eficácia do Líder e Satisfação com a Liderança, na percepção dos pesquisados. De modo complementar, foram realizadas também análises de moderação e multigrupos, de forma a revelar outras conclusões envolvendo os dados demográficos dos respondentes.por
dc.description.abstractIn the last two decades, the Brazilian scientific production evidences a lack of indicators of the effect of leadership on the organization’s results. Thereby, the present study aimed: to identify, to analyze, to evaluate and to comprehend a relationship between the tactics of influence used by leaders and the results achieved by leadership, more specifically, Extra Effort of the led, Leader Effectiveness and Satisfaction with the Leader. The study was accomplished in the context of nursing, which can be considered a complex management environment. The nurse has insufficient training in the topic of leadership, although as national curricular guidelines of the nursing graduate course, as one of the objectives in this graduation is to provide the professional with competence to lead. The method used for the elaboration of this project was adopted in a quantitative approach with descriptive definition, using survey with printed questionnaires. The target audience for the research was on nursing professionals’ area with at least six months' experience and who, as hierarchical superior, the nurse. The sample consisted of 309 valid respondents, from the interior of the state of São Paulo, acting in the public, private and third sector. The SPSS software v.19 (Statistical Package for the Social Sciences) was used for the data processing and for the calculations and validations of the statistical tests was used the multivariate analysis technique of structural equations modeling by the partial least squares method (PLS- PM Partial Least Squares Path Modeling), with SmartPLS 3.0.M3 software. As a result, this project corroborates with several other studies of Brazilian authors in the context studied under the topic of leadership and, in the end, proposes a table of which influence tactics to use for the result of the one intends to achieve in a complex management context. In order to obtain Extra Effort from the led, the tactic that presented the greatest impact was Consultation. Already to be recognized the Leader Effectiveness or to get the Satisfaction with the Leader, the tactics with greater impacts were Rational Persuasion and Collaboration. However, other tactics of influence act in an additional way, according to the results of the present research, for the three dependent constructs. It concludes the leaders that use the Transformational leadership style achieve Extra Effort from their led and leaders who use the Transactional leadership style obtain the recognition of Leadership Effectiveness and Leadership Satisfaction in the respondents' perception. In addition, moderation and multi-group analyzes were carried out, in order to reveal other conclusions involving the demographic data of the respondents.eng
dc.description.provenanceSubmitted by Noeme Timbo (noeme.timbo@metodista.br) on 2017-03-28T17:15:09Z No. of bitstreams: 1 LaudelinoSanematsu.pdf: 2946881 bytes, checksum: c6bc48e9a43a673b92b8595290db22c8 (MD5)eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2017-03-28T17:15:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 LaudelinoSanematsu.pdf: 2946881 bytes, checksum: c6bc48e9a43a673b92b8595290db22c8 (MD5) Previous issue date: 2017-03-03eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttp://tede.metodista.br/jspui/retrieve/3687/LaudelinoSanematsu.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Metodista de Sao Paulopor
dc.publisher.departmentAdministracao::Programa de Pos Graduacao em Administracaopor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsIMSpor
dc.publisher.programAdministracaopor
dc.relation.referencesREFERÊNCIAS AMESTOY, S.C. Liderança como instrumento no processo de trabalho da enfermagem [dissertação]. Rio Grande: Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande; 2008. AMESTOY, S. C. et al. Características que interferem na construção do enfermeiro-líder. Acta Paul Enferm, v. 22, n. 5, p. 673-678, 2009. AMESTOY, S. C. et al. Percepção dos enfermeiros sobre o processo de ensino-aprendizagem da liderança. Texto Contexto Enferm, v. 22, n. 2, p. 468-475, 2013. AMESTOY, S. C. et al. Produção científica sobre liderança no contexto da enfermagem. Rev Esc Enferm USP, v. 46, n. 1, p. 227-233, 2012. AMORIM, G. H. et al. Enfermeiro embarcado em plataforma petrolífera: um relato de experiência offshore. Texto Contexto Enferm., v. 22, n. 1, p. 257-265, 2013. ANTUNES, A. V. O Gerenciamento da Qualidade na Enfermagem [Tese]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; 1997. AVOLIO, B. J.; WALDERMAN, D. A.; EINSTEN, W. A. Transformational leadership in a management game situation. Group and Organizational Studies, v. 13, p. 59-80, 1988. AVOLIO, B.; WALDMAN, D.; YAMMARINO, F. Leading in the 1990s: the I´s of transformational leadership. Journal of European Industrial Training. UK, v. 25, n. 4, p. 9-16, 1991. AVOLIO, B. J. et al. Leadership: current theories, research, and future directions. Annual Review of Psychology, v. 60, p. 421-449. 2009. BALSANELLI, A. P. ; CUNHA, A. P. Liderança no contexto da enfermagem. Rev Esc Enferm USP. v. 40, n. 1, p. 177-122, 2006. BALSANELLI, A. P. ; CUNHA, I. C. K. Liderança do enfermeiro em unidade de terapia intensiva e sua relação com ambiente de trabalho. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 23, n. 1, p. 106-113, 2015. BALSANELLI, A. P. ; CUNHA, I. C. K. O. Ambiente de trabalho e a liderança do enfermeiro: uma revisão integrativa. Rev Esc Enferm USP v. 48, n. 5, p. 938-943, 2014. BARON, R. M.; KENNY, D. A. The moderator-mediator variable distinction in social psychological research: Conceptual, strategic, and statistical considerations. Journal of Personality and Social Psychology, v. 51, p. 1173-1182, 1986. BASS, B.M. Leadership and performance beyond expectations. New York: Free Press, 1985. BASS, B. M. From transactional to transformational leadership: Learning to share the vision. Organizational Dynamics, v. 8, n. 3, p. 19-31, 1990. BASS, B. M. Transformational leadership. Mahwah, NJ: Erlbaum, 1998. BASS, B. M. Two decades of research and development in transformational leadership. European Journal of Work and Organizational Psychology, v. 8, n. 1, p. 9-32, 1999. BASS, B. M; AVOLIO, B. J. Transformational leadership: a response to critiques. In: CHEMERS, M. M; AYAMAN, R. Leadership theory and research: perspectives and directions, New York, Academic Press, 1993 BATEMAN, T.S.; SNELL, S. A. Administração: construindo vantagem competitiva. São Paulo (SP): Atlas; 1998. BECCARIA, L. M.; FÁVERO, N. Expectativas de gerentes e assessores de enfermagem quanto ao estilo gerencial do diretor executivo de um hospital de ensino. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 8, n. 2, p. 83-90, 2000. BENEVIDES, V. L. A. Os estilos de Liderança e as principais táticas de influência utilizadas pelos líderes brasileiros. 2010. 113 f. Dissertação (Mestrado Executivo em Gestão Empresarial) – Fundação Getúlio Vargas – FGV EBAPE, Rio de Janeiro, 2010. BENNIS, W. G.; NANUS, B. Líderes: estratégias para assumir a verdadeira liderança. São Paulo: Harbra, 1988. BERGAMINI, C. W. Liderança: Administração do sentido. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 2009. BIRASNAV. M. Knowledge management and organizational performance in the service industry: The role of transformational leadership beyond the effects of transactional leadership. Journal of Business Research. v. 67, p. 1622–1629, 2014. BLAKE, R.R.; MOUTON, J.S. O novo grid gerencial. 4.ed., São Paulo: Pioneira, 1987. 315p. BRASIL, V. S. Análises das variáveis antecedentes e das consequências dos uso de diferentes sistemas de entrega de serviços (SES). Porto Alegre: UFRGS, 2005. Tese (Doutorado em Administração), Escola de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005. BRASIL. Lei No 9.394, de 20 de dezembro 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 23 Dez 1996. Seção 1. p. 27. BRYMAN, A. Liderança nas organizações. In: CLEGG, S. R.; HARDY, C.; NORD, W. R. Handbook de Estudos Organizacionais: Ações e Análises Organizacionais, Volume 3. São Paulo: Atlas, 2014. BURNS, J.M. Leadership. New York: Harper, 1978. CAMELO, S. H. H. Incidentes críticos de erosão da confiança na liderança de chefes de enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 20, n. 1, [09 telas], 2012. CAPRA, F. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. 9.ed. São Paulo: Cultrix; 2004. 256p. CARVALHO, B. G.; PEDUZZI, M.; AYRES, JR. C. M. Concepções e tipologia de conflitos entre trabalhadores e gerentes no contexto da atenção básica no Sistema Único de Saúde (SUS). Caderno de Saúde Pública, n. 30, v. 7, p. 1453-1462, 2014. CASTRO, C. B. Dimensões da Liderança: Um estudo de características individuais e profissionais do enfermeiro na instituição hospitalar [dissertação]. Rio de Janeiro (RJ): Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; 2007. CASTRO, J. C. M. Vida de Luiza de Marillac - fundadora das irmãs de caridade. Petrópolis (RJ): Vozes; 1936. CAVALCANTI, V. L. et al. Liderança e Motivação. 4ª. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2008. 152p. CECHINEL, C. et al. Vivência gerencial de acadêmicos de enfermagem: em pauta a sistematização da assistência de enfermagem. Rev Enferm UFSM. v. 2, n. 1, p. 190-197, 2012. CHELLADURAI, P. Managing organizations for sport & physical Education: a system perspective. Scottdele, Ar: Holcomb Hathaway, 2001. CHIN, W. W. The Partial Least Squares Approach to Structural Equation Modeling. In G. A. Marcoulides (Ed.), Modern Methods for Business Research p. 295-358. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, 1998. CHIN, W.W . Statistical Power analysis for the Behavioral Sciences. 2. ed. New York: Psychology Press, 1998 CHIN, W. W., & NEWSTED, P. R. Structural equation modeling analysis with small samples using partial least squares. In R. H. Hoyle (Ed.), Statistical strategies for small sample research p. 307-341. Thousand Oaks, CA: Sage Publications. 1999. COHEN, J. Statistical power analysis for the behavioral sciences (2nd ed.). Hillsdale, NJ: Erlbaum. 1988. COHEN, A, R.; BRADFOR, D. L. influence without authority: the use of alliances, reciprocity and exchange to accomplish work. Organizational Dynamics, p. 5-17, 1989 CONGER, J. A. The Carismatic Leader: Behind The Mystique of Exceptional Leadership. San Francisco: Jossey-Bass. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES 3/2001. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de Novembro de 2001. Seção 1, p. 37. CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO ESTADO DE SÃO PAULO (COREN-SP). Principais Legislações para o Exercício da Enfermagem. São Paulo, 2008. COSTA, D. G.; DALL’AGNOL, C. M. Liderança participativa no processo gerencial do trabalho noturno em enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 19, n. 6, [08 telas] 2011. COSTA, L. V. A relação entre a percepção de sucesso e o comprometimento organizacional: um estudo entre professores de universidades privadas selecionadas da grande São Paulo. [Tese]. Universidade de São Paulo, 2010. COVEY, S. R. Liderança baseada em princípios. Rio de Janeiro: Elsevier, 2002. CRUZ, M. A. et al. The impact of directive leadership on group information sampling, decisions, perceptions of the leader. Communication Research, v. 26, p. 349-370, 1999. DALL’AGNOL, C. M. et al. Motivações, contradições e ambiguidades na liderança de enfermeiros em cargo de chefia num hospital universitário. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 21, n. 5, [07 telas], 2013. DEN, H. et al. Transactional versus Transformational Leadership: An Analysis of the MLQ. Journal of Occupational and Organizational Psychology, v. 70, March, p. 19-34, 1997. DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM, 2001 DONAHUE, P. Historia de la Enfermería. St Louis (USA): Mosby Company; 1993. DRUKER, P. F. Administrando para o futuro: os anos 90 e a virada do século. 5ª ed. São Paulo (SP): Pioneira; 1996. EDWARDS, J. R.; LAMBERT, L. S. Methods for integrating moderation and mediation: A general analytical framework using moderated path analysis. Psychological Methods, v.12, p. 1-22, 2007. EFRON, B.; TIBSHIRANI, R. J. An introduction to the bootstrap. Chapman & Hall / CRC Press. 1998. FALBE, C. M.; YUKL, G. Consequences for managers of using single influence tactics and combinations of tactics. Academy of Management Journal, v. 35, p. 638-652, 1992 FARRELL, M. A.; SCHRODER, B. Influence strategies in organizational buying decisions. Industrial Marketing Management, v. 25, p. 293-303, 1996 FAUL, F.; et al. G*Power 3: A flexible statistical power analysis program for the social, behavioral, and biomedical sciences. Behavior Research Methods, 39, 175-191, 2007 FAUL, F.; et al. Statistical power analyses using G*Power 3.1: Tests for correlation and regression analyses. Behavior Research Methods, v. 41, p. 1149-1160, 2009 FONSECA, A. M. O.; PORTO, J. B. Validação fatorial de escala de atitudes frente a estilos de liderança. No prelo. FONSECA, A. M. O.; PORTO, J. B.; BARROSO, A. C. O efeito de valores pessoais nas atitudes frente aos estilos de liderança. RAM, REV. ADM. MACKENZIE, São Paulo, v. 13, n. 3, p. 122-149, 2012. FONSECA, A. M. O.; PORTO, J. B.; BORGES-ANDRADE, J. E. Liderança: um retrato da produção científica brasileira. RAC, Rio de Janeiro, v.19, n.3, art. 1, p. 290-310, Maio/Jun. 2015. FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. FORNELL, C.; LARCKER, D. F. Evaluating Structural Equation Models with Unobservable Variables and Measurement Error. Journal of Marketing Research, v.18, n.1, p. 39-50, 1981. FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 3ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Graal; 1982. FU, P. P.; YUKL, G. Perceived effectiveness of influence tactics in the united states and china. The Leadership Quarterly, v. 11, n. 2, p.251-266, 2000. FU, P. P.; et al. The impact of societal cultural values and individual social beliefs on the perceived effectiveness of managerial influence strategies: a meso approach. Journal of International Business Studies, 35 4, 284-305., 2004 GALVÃO, C. M. O estilo de liderança exercido pelo enfermeiro de unidade de internação cirúrgica sob o enfoque da liderança situacional. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v.5, n.2, p. 39-47, abril 1997. GALVÃO, C. M.; SILVA, M. A. Aplicação da Liderança Situacional na enfermagem de centro cirúrgico. Rev Esc Enferm USP, v.41, n.1, p. 104-112, 2007. GALVÃO, C. M. et al. Enfermeiro cirúrgico: seu estilo de liderança com o pessoal auxiliar de enfermagem. Rev Gaúcha Enferm. v.18, n.1, p. 31-42, 1997. GALVÃO, C. M. et al. Liderança e comunicação: estratégias essenciais para o gerenciamento da assistência de enfermagem do contexto hospitalar. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v.8, n.5, p. 34-43, outubro, 2000. GALVÃO, C. M. et al. Liderança situacional: estrutura de referência para o trabalho do enfermeiro-líder no contexto hospitalar. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v.6, n.1, p. 81-90, janeiro 1998. GARDNER, W. L.; CLEAVENGER, D. The impression management strategies associated with transformational leadership at the world-class level: A psycho historical assessment. Management Communication Quarterly, v. 12, p. 3-41, 1998. GARDNER, W. L.; MARTINKO, M. J. Impression management in organizations. Journal of Management, 14, 321−338, 1998. GEOVANINI, T. et al. História da enfermagem: versões e interpretações. 3ª ed., Rio de Janeiro (RJ), Livraria e Editora REVINTER Ltda., 2010. GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª ed. São Paulo. Atlas, 2002. GOMES, A. D.; CARDOSO, L.; CARVALHO, C. Discurso de Liderança: o que faz sentido faz-se. In Psychological, 23, p. 7-36, 2000 GONÇALVES, M. N. C. Estilos de Liderança: um estudo de autopercepção de enfermeiros gestores. 2008. 129 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Empresariais) – Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal, 2008. GOODWIN, V. L.; WOFFORD, J. C.; WHITTINGTON, J. L. A theoretical and empirical extension to the transformational leadership construct. Journal of Organizational Behavior, v. 22, p. 759-774, 2001. GRAAF, K. R. Arte e ciência de la enfermería humanista: Florence Nightingale. In: Marinner A . Modelos y teorias de enfermería. Barcelona (ESP): Rol; 1989. HACKMAN, M. Z.; JOHNSON, C. E. Leadership: a communication perspective. 5. ed. Long Grove, IL: Waveland Press, 2009. HAIR, J. F., RINGLE, C. M.; SARSTEDT, M. PLS-SEM: Indeed a Silver Bullet. Journal of Marketing Theory and Practice, v. 19, p. 139-151, 2011. HAIR, J. F.; et al. Análise multivariada de dados. Tradução de Lene Belon Ribeiro, 5ª ed. São Paulo: Bookman, 2005. HAIR, J. F.; et al. A Primer on Partial Least Squares Structural Equation Modeling (PLS-SEM). Thousand Oaks: SAGE Publications. 2014. HARTOG, D. et al. Transactional versus Transformational Leadership: An Analysis of the MLQ. Journal of Occupational and Organizational Psychology. v. 70, March, p. 19-34, 1997. HENSELER, J.; RINGLE, C. M.; SARSTEDT, M. A new criterion for assessing discriminant validity in variance-based structural equation modeling. Journal of the Academy of Marketing Science, v. 43, n. 1, p. 115-135, 2015. HERNANDEZ, J. M.; BASSO, K.; BRANDÃO, M. M. Pesquisa Experimental em Marketing. REMark - Revista Brasileira de Marketing, v.13, n.2, p. 96-115, 2014. HERSEY, P. ; BLANCHARD, K.H. Management of organizational behavior: utilizing human resources. Englewood Cliffs: Prentice-Hall; 1969. HERSEY, P. ; BLANCHARD, K. H. Psicologia para administradores: a Teoria e as técnicas da liderança situacional. 8ª ed. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 1989. HERSEY, P. ; BLANCHARD, K.H. Psicologia para administradores: a teoria e as técnicas da liderança situacional. Trad. Edwino A. Royer. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 1986. HIGA, E. F. R.; TREVIZAN, M. A. Os estilos de liderança idealizados pelos enfermeiros. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 13, n. 1, p. 59-64, 2005. HINKIN, T. R.; SCHRIESHEIM, C. A. Theoretical and empirical examination of the transactional and non-leadership dimensions of the Multifactor Leadership Questionnaire (MLQ). The Leadership Quarterly, v. 19, p. 501-513, 2008. HOFSTEDE, G. Culture’s consequences: International differences in work-related values. Beverly Hills; London: Sage Publications, 1980. HOLLADAY, S.; COOMBS, W. Speaking of visions and vision being spoke. Management Communication Quarterly, n. 8, p. 165-189, 1994. HOLLANDER, E. P. Leadership and social exchange processes. 1979. HOUSE, R. J. A path goal theory of leader effectiveness. Administrative Science Quarterly, v.16, p. 321-338, 1971. HUNTER, James C. Como se tornar um líder servidor: Os princípios de liderança de O monge e o Executivo. Rio de Janeiro: Editora Sextante, 2006. ITO, E. E. et al. O ensino de enfermagem e as diretrizes curriculares nacionais: utopia x realidade. Rev Esc Enferm USP, v. 40, n. 2, p. 570-575, 2006. JACOBS, T. O.; JAQUES, E. Military executive leadership. In CLARK. E.; CLARK, M. B. (Eds.), Measures of leadership. West Orange, New Jersey: Leadership Library of America, p. 281-295, 1990. JUDGE, T. A.; PICCOLO, R. F.; ILIES, R. The forgotten ones? The validity of consideration and initiating structure in leadership research. Journal of Applied Psychology, v. 89, p. 36-51, 2004. KACMAR, K. M.; BARON, R. A. Organizational politics: The state of the field, links to related processes, and an agenda for future research. In G. R. Ferris (Ed.), Research in personnel and human resources management, vol. 17, p. 1−39)Stamford, CT: JAI Press. 1999. KANUNGO; R. CONGER, J. Carismatic leadership. New York: Jossey-Bass, 1988. KATZ, D.; KAHAN, R. L. Social psychology of organizations, 2nd ed. New York: John Wiley.1978 KAUARK, F. S.; MANHÃES, F. C.; MEDEIROS, C. H. Metodologia da pesquisa: um guia prático. Bahia: Editora Via Litterarum, 2010. KENNEDY, J. et. al. Influence tactics across twelve cultures. In: W. Mobley, & P. Dorfman (Eds.), Advances in global leadership, vol. 3, p. 127−148): JAI Press. 2003. KETELE, J. M.; ROGIER, D. Metodologia da Recolha de dados. Fundamentos dos métodos de observações, de questionários, de entrevistas e de estudo de documentos. Lisboa: Instituto Piaget. 1999. KETS DE VRIES, M. F. R. Liderança na empresa. São Paulo: Atlas, 1997. KIPNIS, D.; SCHMIDT, S. M.; WILKINSON, I. Intra-organizational influence tactics: Exploration in getting one’s way. Journal of Applied Psychology, v. 65, p. 440-452, 1980. KOTLER, J. P. A force for change: how leadership differs from management. New York: Free Press, 1990. KOTTER, J. The general managers. New York: Free Press, 1982 KOUZES, J.M.; POSNER, B.Z. O desafio da liderança. Trad. por Ricardo Inofosa. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997. KUMAR, K.; BEYERLRIN, M. Construction and validation of an instrument for measuring ingratiatory behaviors in organizational settings. Journal of Applied Psychology, 76, 619−627, 1991. KURCGANT, P. ; PERES, H. H. C.; CIAMPONE, M. H. T. A liderança na administração do pessoal de enfermagem segundo a percepção de enfermeiras, auxiliares e atendentes de enfermagem. Rev Esc Enferm USP, v.30, n.3, p. 416-38, dez. 1996. LANZONI, G. M. M.; MEIRELLES, B. H. S. Liderança do enfermeiro: uma revisão integrativa da literatura. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 19, n. 3, [08 telas] maio-jun 2011. LANZONI, G. M. M. et al. Ações/interações motivadoras para a liderança do enfermeiro no contexto da atenção básica à saúde. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 24, n. 4, p. 1121-1129, 2015. LAVADO, E. L.; CASTRO, A. A. Projeto de pesquisa. São Paulo: A.A. C, 2001. LEITE, A. P. R. et al. Percepções e reflexões de pesquisadores: uma abordagem sobre ética na pesquisa. In: EnANPAD, 34º. Anais… Rio de Janeiro: ANPAD, 2010. LOCKE, E. A. Leadership: Starting at the top. In: C. Conger (Ed.). Shared leadership: Reframing the hows and whys of leadership (p. 271-284). Thousand Oaks, CA: Sage. 2003. LOWE, K. B.; KROECK, K. G.; SIVASUBRAMANIAM, N. Effectiveness correlates of transformational and transactional leadership: a meta-analytic review of the MLQ literature. The Leadership Quarterly, v. 7, n. 3, p. 385-425, 1996. MACÊDO, I. I.; et al. Aspectos comportamentais da gestão de pessoas. 1ª. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2003. 148p. MACHADO, M. H. et al. Aspectos gerais da formação da enfermagem: o perfil da formação dos enfermeiros, técnicos e auxiliares. Enferm. Foco, v.6, n. 1/4, p. 15-34, 2016. MACHADO, M. H. et al. Características gerais da enfermagem: o perfil sociodemográfico. Enferm. Foco, v.6, n. 1/4, p. 11-17, 2015a. MACHADO, M. H. et al. Condições de trabalho da enfermagem. Enferm. Foco, v.6, n. 1/4, p. 79-90, 2015c. MACHADO, M. H. et al. Mercado de trabalho da enfermagem: aspectos gerais. Enferm. Foco, v.6, n. 1/4, p. 43-78, 2015b. MARQUES, M. C.; MELO, M. R. A. C. O Grid gerencial: uma análise descritiva na área da enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm, v. 8, n. 2, p. 275-278, 2004. MARX, L.C.; MORITA, L.C. Competências gerenciais na enfermagem: a prática do Sistema Primary Nursing como parâmetro qualitativo da assistência. São Paulo: BH Comunicação; 2000. MAZZON, J.A .Análise do programa de alimentação do trabalhador sob o conceito de marketing social. 1981. Tese (Doutorado) Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo. MCGUIRE, E.; KENNERLY, S. Nurse Managers transformational and transactional leaders. Nursing Economics, v. 24, n. 4, 2006. McWHINNEY, W. Paths of Change: Strategic Choices for Organizations and Society. Thousand Oaks, CA: Sage, 1997. MECHANIC, D. Sources of power of lower participants in complex organizations. Administrative Science Quarterly, v. 7, n. 3, p. 349-364, 1962. MEGGISON, L.; MOSLEY,; D. PIETRI, P. Administração: conceitos e aplicações. São Paulo, Harbra, 1998. MELO, E. A. A. Escala de avaliação do estilo gerencial (EAEG): desenvolvimento e validação. Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 4, n. 2, p. 31-62, 2004. MENDES, M. M. R. O ensino de graduação em enfermagem no Brasil, entre 1972 e 1994 – mudança de paradigma curricular? [tese]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP; 1996. MINER, J. B. The uncertain future of the leadership concept: revisions and clarifications. Journal of Applied Behavioral Science, v. 18, p. 293-307, 1982. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (BR). CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. RESOLUÇÃO Nº 3, de 07 de novembro de 2001. Diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Enfermagem. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 09 Nov 2001. Seção 1. p. 37. MOTTA, P. R. Gestão Contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. 15.ed. Rio de Janeiro: Record; 2004. 256p. MOURA, G. M. S. S. et al. Liderança em enfermagem: análise do processo de escolha das chefias. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 18, n. 6, nov-dez, 2010. MOWDAY, R. T. The exercise of upward influence in organizations. Administrative Science Quarterly, 23, p. 137-156, 1978. MUCHINSKY, P. M. Psicologia organizacional. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004. NASH, R. Um esboço da vida de Florence Nightingale. Rio de Janeiro (RJ): EEAN/UFRJ; 1980. NETO, A. C. et al. Executivos brasileiros: na contramão do perfil deificado da liderança transformacional. Revista de Ciência da Administração, v. 14, n. 32, p. 35-49, abr 2012. NEVES, V. R; SANNA, M. C. Ensino da liderança em enfermagem: um estudo bibliométrico. Acta Paul Enferm, v. 25, n. 2, p. 308-313, 2012. NISBETT, R. E.; WILSON, T. D. The halo effect: Evidence for unconscious alteration of judgments. Journal of Personality and Social Psychology, v. 35, n. 4, p.250-256, 1977. NUNALLY, J. C.; BERNSTEIN, I. Psychometric theory. New York: McGraw-Hill, 1994 PADILHA, M. I. C. S. A mística do silêncio na enfermagem na Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro no Século XIX. Pelotas (RS): UFPel; 1998. PADILHA, M. I. C. S; MANCIA, J. R. Florence Nightingale e as irmã de caridade: revisitando a história. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 58, n. 6, p. 723-726, 2005. PERES, A.; CIAMPONE, M. H. T. Gerencia e competências gerais do enfermeiro. Texto Contexto Enferm, v. 15, n.3, p. 492-499, 2006. PFEFFER, J. Power in Organizations. Marshfield, MA: Pitman. PFEFFER, J. Managing with power: Politics and influence in organizations. Boston, MA: Harvard Business School Press. 1992. PINSONNEAULT, A.; KRAEMER, K. L. Survey Research in Management Information Systems: An Assessment. Journal of MIS, v. 10, n. 2, p. 75-105, 1993. POLIT, D. F.; BECK, C. T.; HUNGLER, B. P. Fundamentos da pesquisa em Enfermagem: métodos, avaliação e utilização. Trad. De Ana Thorell. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. PRADO, P. H. M.; KORELO, J. C.; SILVA, D. M. L. Análise de Moderação, moderação e processos condicionais. REMark - Revista Brasileira de Marketing, Edição Especial – v. 13, n.4, Setembro/ 2014. PRADO, R. T.; DIAS, S. M.; CASTRO, E. A. B. Competências e habilidades para a atuação do enfermeiro em banco de olhos. Texto Contexto Enferm, v. 23, n. 1, p. 47-55, 2014. QUIVY, R. et al. Manual de investigações em ciências sociais. Lisboa, Gradiva, 1998. RAUCH, C. F.; BHLING, O. Functionalism: Basis for an alternate approach to the study of leadership. In J. HUNT, G.; HOSKING, D. M.; SCHRIESHEIM, C. A.; STEWART, R (Eds.), Leaders and managers: International perspectives on managerial behavior and leadership. New York: Pergamon Press, p. 45-62.1984 RAUPP, F. M.; BEUREN, I. M. Metodologia de pesquisa aplicável às ciências sociais. In: BEUREN, I. M. (Org), Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2006. RIBEIRO, M.; SANTOS, S. L.; MEIRA, T. G. B. M. Refletindo sobre liderança em enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm, v. 10, n. 1, p. 109-115, 2006. RINGLE, C. M.; WENDE, S.; BECKER, J. -M. SmartPLS 3. Disponível em <http://www.smartpls.com>. Acesso em: 07 Jun 2015. ROBBINS, S. P. A verdade sobre gerenciar pessoas. São Paulo: Pearson Education, 2002. ROCHA, E. S. B.; TREVIZAN, M. A. Gerenciamento da qualidade em um serviço de enfermagem hospitalar. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v.17, n.2, 2009. RODGER, G. L. O desenvolvimento de lideranças globais através da educação de doutorado. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 12, n.5, p. 816-820, 2004. RODRIGUES, A. L.; BARRICHELLO, A. ,ORIN, E. M. Os sentidos do trabalho para profissionais de enfermagem: um estudo multimétodos. RAE-Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 56, n. 2, p. 192-208, mar-abr 2016. RODRIGUES, M. R. Teoria e prática assistencial na enfermagem: o ensino e o mercado de trabalho [dissertação]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP; 2000. ROZENDO, C. A.; GOMES, E. L. R. Liderança na enfermagem brasileira: aproximando-se da sua desmistificação. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 6, n. 5, p. 67-76, dezembro, 1998. SANTILLE, A. Efeitos de nível hierárquico e gênero no uso de táticas de influência interpessoal nas organizações. 2007. 261 f. Tese (Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Área de Concentração: Psicologia Experimental). Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. SANTOS, I.; CASTRO, C. B. Estilos e dimensões da liderança: iniciativa e investigação no cotidiano do trabalho de enfermagem hospitalar. Texto Contexto Enferm, v. 17, n. 4, p. 734-42, 2008. SANTOS, I.; OLIVEIRA, S. R. M,; CASTRO, C. B. Gerência do processo de trabalho em enfermagem: liderança da enfermeira em unidades hospitalares. Texto Contexto Enferm, v.15, n. 3, p. 393-400, 2006. SANTOS, I. et al. Estilos de gerência: percepção da enfermeira quanto aos estilos gerenciais na administração do processo de trabalho da assistência de enfermagem. In: Anais do 13º Pesquisando em enfermagem. Rio de Janeiro, UFRJ/EEAN, 2006. p. 24-32. SANTOS, J. L. G. Desafios para a gerência do cuidado em emergência na perspectiva de enfermeiros. Acta Paul Enferm. v. 26, n. 2, p. 136-143, 2013. SANTOS, K. M.; SILVA, M. J. P. Comunicação entre líderes e liderados: visão dos enfermeiros. Rev Esc Enferm USP. v. 37, n. 2, p. 97-108, 2003. SCHERMERHON, JR, J. B.; BOND, M. H. Upward and downward influence tactics in managerial networks: a comparative study of Hong Kong Chinese and Americans. Asia Pacific Journal of Management, v. 8, n. 2, p. 147-158, 1991. SCHMIDT, S. M.; YEN, R. The structure of leader influence: a cross-national comparison. Journal of Cross-Cultural Psychology, v. 23, p. 251-262, 1992 SCHRIESHEIM, C. A.; HINKIN, T. R. Influence tactics used by subordinates: A theoretical and empirical analysis and refinement of the Kipnis, Schmidt, and Wilkinson subscales. Journal of Applied Psychology, v. 75, p. 246-257, 1990. SELLGRENS, S.; EKVALL, G.; TOMSON, G. Leadership styles in nursing management: preferred and perceived. Journal of Nursing Management, v. 14, n. 5, p. 348–355, 2006. SILVA, F. V. et al. Explorar o SPSS em contexto educativo. Santarém: Escola Superior de Educação de Santarém. 2006. SILVA, R. C.; FERREIRA, M. A. Tecnologia em ambiente de terapia intensiva: delineando uma figura-tipo de enfermeiro. Acta Paul Enferm, v. 24, n. 5, p. 617-623, 2011. SIMÕES, A. L. A. Desenvolver o potencial de liderança: um desafio para enfermeiro. [Tese]. Ribeirão Preto (SP): Escola de Enfermagem/USP; 2001. SIMÕES, A. L. A.; FÁVERO, N. Aprendizagem da liderança: opinião de enfermeiros sobre a formação acadêmica. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 8, n. 3, p. 91-96, julho, 2000. SIMÕES, A. L. A.; FÁVERO, N. O desafio da liderança para o enfermeiro. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 11, n. 5, p. 567-573, 2003. SOBRAL, F.; PECI, A. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro. São Paulo: Prentice Hall, 2008. SORENSEN, E. E.; DELMAR, C.; PEDERSEN, B. D. Leading nurses in dire straits: hear nurses’ navigation between nursing and leadership roles. J Nurs Manag. 2011; 19:421-30. SOUSA, L. B. Barroso MGT. Reflexão sobre o cuidado como essência da liderança em enfermagem. Esc Anna Nery Enferm, v. 13, n. 1, p. 181-187, 2009. STANLEY, D. Congruent leadership: values in action. J Nurs Manage. v. 16, n. 5 , p. 519-24, 2008 STOGDILL, R. M. Leadership, membership and organization. Psychological Bulletin, 47(1), p. 1-14, 1950. TABACHNICK, B.; FIDELL, L. Using multivariate analysis. Needham Heights, Allyn e Bacon, 2007. TELLES, R. A efetividade da “matriz de amarração” de Mazzon nas pesquisas em Administração. Revista de Administração, São Paulo, v. 36, n. 4, p. 64-72, out/dez., 2001. TREVIZAN, M.A. Liderança do enfermeiro: o ideal e o real no contexto hospitalar. São Paulo: Sarvier, 1993. TREVIZAN, M. A. et al. Análise de expectativas sobre liderança do enfermeiro à luz das teorias Grid. Rev Gaúcha Enferm, v. 22, n. 1, p. 20-29, 2001. TREVIZAN, M. A. et al. Aspectos éticos na ação gerencial do enfermeiro. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v.10, n.1, p. 85-89, 2002. TREVIZAN, M.A. et al. Focalizando o exercício administrativo no conjunto de funções do enfermeiro. Rev. Esc. Enfermagem USP, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 17-26, abr. 1989. TRIPODI, T.; FELLIN, P. ; MEYER, H. Análise da pesquisa social. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves Editora, 1981. TRIPODI, T.; et al. Análise da pesquisa social. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975. TYROVOLA, K.; PAPANIKOLAOU, V.; ADAMIS, D. Predictive Model for Influence Strategies in Greek Organizations. International Journal of Business and Social Science. v. 3, n. 10 [Special Issue – May 2012]. TYROVOLA, K.; PAPANIKOLAOU, V.; ADAMIS, D. Translation and Standardization of the Extended Influence Behavior Questionnaire (IBQ-G) in a Greek Sample. Psychology, v. 2, n. 7, p. 754-759, 2011. VAESSEN, P. G. Santa Luiza de Marillac suas filhas e suas Senhoras de Caridade. Salvador (BA): Ed. Mensageiros de Fé; 1949. VELOSO, E. F. R.; DUTRA, J. S.; NAKATA, L. E. Percepção sobre carreiras inteligentes: diferenças entre as gerações Y, X e baby boomers. In: EnANPAD, 32º. Anais… Rio de Janeiro: ANPAD, 2008. VENTURA, A.; COSTA, J. A.; CASTANHEIRA, P. Perceptions of leadership -a study from two Portuguese schools. Revista Electrónica Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, v. 4, n. 4e, p. 128-136, 2005. VERGARA, S. C. Gestão de Pessoas. São Paulo, Atlas, 1999. VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. Rio de Janeiro: Atlas, 2003. VIANA, R. A. P. et al. Perfil do enfermeiro de terapia intensiva em diferentes regiões do brasil. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 23, n. 1, p. 151-159, 2014. WALDMAN, D. A., BASS, B. M.; YAMMARINO, F. J. Adding to contingent reward behavior: The augmenting effect of charismatic leadership. Group and Organizational Studies, v. 15, n. 4, p. 381-394, 1990. WAYNE, S. J.; FERRIS, G. R. Influence tactics, affect, and exchange quality in supervisor–subordinate interactions: A laboratory experiment and field study. Journal of Applied Psychology, v. 75, p. 487−499, 1990. WEBER, M. Ensaios de sociologia. Rio de Janeiro: Zahar, 1946. WEHBE, G.; GALVÃO, C. M. O enfermeiro de unidade de emergência de hospital privado: algumas considerações. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 9, n. 2, p. 86-90, 2001. WRIGHT, M. G. M. et al. Liderança internacional em enfermagem relacionada ao fenômeno das drogas: um estudo de caso da experiência de colaboração entre a comissão interamenicana para o controle do abuso de drogas (CICAD) e a universidade de Alberta – Faculdade de Enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 13(número especial), 2005. YAMMARINO, F.J.; BASS, B.M. (1990). Long-term forecasting of transformational leadership and its effects among naval officers: Some preliminary findings. In CLARK, K.E. (Eds.), Measures of leadership (p. 151–171). West Orange, NJ: Leadership Library of America, 1990. YAÑES-GALLARDO, R.; VALENZUELA-SUAZO, S.. Incidentes críticos de erosão da confiança na liderança de chefes de enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 20, n.1, [08 telas] jan-fev. 2012. YUKL, G. Leadership in Organizations. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall. 1994. YUKL, G. Leadership in organizations (4th Ed). Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall. 1998. YUKL, G. Leadership in organizations (7th ed.). New Jersey, NJ: Prentice Hall. 2009. YUKL, G.; CHAVEZ, C. Influence tactics and leader effectiveness. In L. Neider & C. Schriesheim (Eds.), Leadership: Research in management, v. 2. p. 139−165, 2002 YUKL, G.; FALBE, C. M. Influence tactics in upward, down-ward, and lateral influence attempts. Journal of Applied Psychology, v. 75, p. 132-140, 1990. YUKL, G.; TRACEY, B. Consequences of influence tactics used with subordinates, peers, and the boss. Journal of Applied Psychology, v. 77, p. 525-535, 1992. YUKL, G.; CHAVEZ, C.; SEIFERT, C. F. Assessing the construct validity and utility of two new influence tactics. Journal of Organizational Behavior, v. 26, n. 6, p. 705−725, 2005. YUKL, G., FALBE, C. M.; YOUN, J. Y. Patterns of influence behavior for managers. Group and Organization Management, v. 18, p. 5-28, 1993 YUKL, G.; GUINAN, P. J.; SOTTOLANO, D. Influence tactics used for different objectives with subordinates, peers, and superiors. Group and Organization Management, v. 20, p. 272-296, 1995. YUKL, G.; CHAVEZ, C.; SEIFERT, C. F. Assessing the construct validity and utility of two new influence tactics. Journal of Organizational Behavior, v. 26, n. 6, p. 705-725, 2005 YUKL, G.; SEIFERT, C. F.; CHAVEZ, C. Validation of the extended Influence Behavior Questionnaire. The Leadership Quarterly v. 19, p. 609–621, 2008. YUKL, G. et al. Antecedents of influence outcomes. Journal of Applied Psychology, v. 81, p. 309-317, 1996. ZALEZNIK, A. Managers and leaders: are they different? Harvard Business Review, v. 55. p. 67-78, 1977.por
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectLiderança; Táticas de Influência; Enfermagem; Resultados da Liderançapor
dc.subjectLeadership Tactics of Influence; Nursing; Results of Leadershipeng
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAOpor
dc.titleRELAÇÃO ENTRE AS TÁTICAS DE INFLUÊNCIA E OS RESULTADOS DA LIDERANÇA NA ENFERMAGEMpor
dc.title.alternativeRelationship between influence tactics and results of leadership in the nursingeng
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:Programa de Pos Graduação em Administração
Programa de Pos Graduação em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LaudelinoSanematsu.pdfBIBLIOTECA DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES - TEXTO COMPLETO2.88 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.